A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
08 abril 2014

Por que as crianças mordem?

Postado por: Rafa Manfroi

 

Por que as crianças mordem?

mordida

No meu trabalho escolar, tenho me deparado com situações de crianças que mordem e isso desespera os professores, os pais de quem mordeu e principalmente os pais da criança mordida, que apesar de compreenderem que isso “é coisa de criança”, não gostam de ver seus filhos marcados e com dor.

Essa semana, num atendimento envolvendo esta questão, falávamos sobre a linguagem das crianças, que até os 3 anos ainda está em desenvolvimento e impossibilita o pequeno de demonstrar o que sente: sua tristeza, sua frustração, sua insatisfação, ou até mesmo sua alegria, sim, sua alegria, pois as mordidas nem sempre são reflexo de um sentimento negativo.

Enquanto ainda não sabem falar com desenvoltura, as crianças utilizam outros meios para se expressar e para se comunicar. A mordida é uma delas, mas poderia ser um tapa, um empurrão, um beliscão ou um puxão de cabelo, todas tentativas de conseguir de forma mais rápida o que deseja. Nem sempre a mordida é sinônimo de agressividade e em alguns casos ela acontece por pura identificação: querer o mesmo brinquedo, a mesma sandália, gostar de estar próxima e inclusive não dividir a amizade dela com outros coleguinhas. Isso faz com que a criança se expresse de forma negativa, mordendo.

Por outro lado, pode ser também uma forma de carência e de chamar a atenção dos pais e da professora. Neste caso, vale avaliar qual momento a família está passando, se existe algo que não está bem e se mudanças significativas aconteceram nesta mesma ápoca, pois isso pode interferir no comportamento dos nossos pequenos.

Mas o que fazer quando isso acontece?

Quando a criança morde outra pessoa, é importante a mediação de um adulto, fazendo com que ela reflita sobre o que fez e para que entenda que há outras maneiras de conseguir o que deseja. Pode-se dizer, por exemplo: “Se você não gostou do que ele fez, vamos dizer isso a ele”, ou “Você quer o brinquedo? Então vamos pedir o brinquedo”. O adulto deve mostrar à criança que a linguagem é a forma certa de se obter as coisas, transformando a atitude corporal em uma atitude mediada pela linguagem. Esse é um grande objetivo da educação, tanto na escola quanto em casa. Quando esse ensinamento não é dado logo cedo, as crianças crescem e mantém as atitudes corporais para conseguir o que querem. É o que se vê quando crianças mais velhas se atiram no chão e fazem escândalo quando são contrariadas.

Vale lembrar que isso serve para crianças que costumam empurrar ou apertar o braço do amiguinho. O adulto SEMPRE precisa intermediar, até porque, crianças pequenas não têm maturidade suficiente para resolver questões como esta. A ideia de deixar com que se entendam e resolvam sozinhos pode ser perigosa, para ambos os lados.

Dicas para os pais e para a escola:

– Conversa é a melhor saída em todos os casos

– As duas crianças devem ser acolhidas pelos pais e escola

– Nunca se deve incentivar o revide

– Dê exemplos claros e objetivos

– Use o rosto e as mãos para se expressar

– Pedir desculpas nunca é de mais

De resto, é esperar com que a fase passe e que venham os próximos desafios!! Sim, porque eles nunca acabam!!

Beijos e mordidinhas (carinhosas) pra vocês!! 

Rafa.

 

Gostei

Deixe um comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo