A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
02 junho 2015

Nós erramos mesmo, e daí?

Postado por: Rafa Manfroi

Nós sempre podemos fazer mais. Podemos passar mais tempo com nossos filhos, ouví-los mais e com mais atenção, ter mais paciência com eles, brincar mais, melhorar nosso convívio, orar mais por eles, enfim. A lista é grande. Mas quer saber? Somos seres falíveis, totalmente passíveis de erros. Ficamos cansados e mal humorados. Nem sempre pensamos antes de agir. Estamos longe de ser perfeitos e nada melhor que a paternidade para ressaltar nossas imperfeições. A culpa? Ah, essa pelo jeito será nossa eterna companheira.

Se seguimos nosso instinto materno nos sentimos culpadas porque não fizemos o que o livro manda, mas se obedecemos o livro nos sentimos igualmente culpadas porque negamos a voz do nosso coração. A verdade é que a criação de filhos é um jogo muito complexo e incrivelmente difícil (difícil?? Sim, muito, tendo em vista sua tamanha responsabilidade) e temos que jogá-lo mesmo quando não estamos no nosso melhor momento, sabendo inclusive que naquele campo as coisas acontecem muito rápido, muitas vezes não nos dando a chance de criar estratégias. Uma vez no jogo, sempre no jogo. Não há a possibilidade de desistir nem olhar pra trás.

A criação de filhos nos coloca em evidência 24h por dia e não existe muito, ou seria nenhum glamour nisso, se não muita responsabilidade. Isso ás vezes cansa, não cansa? Precisamos constantemente nos lembrar de que não somos Deus. Deixaremos coisas importantes passarem despercebidas, nos distrairemos com nossas tentações e nossos defeitos e erraremos infinitas vezes. A boa notícia é que um dos aspectos saudáveis da culpa que tão de perto nos acompanha é que ela pode nos conduzir a Deus que nos dá novos dias e novas chances, usando nossos erros como oportunidades de aprendizagem. Ele conhece nossas limitações, uma a uma. Sabe que cometemos erros, fazemos bagunça e muitas vezes deixamos a desejar. Mas Ele nos olha com olhos de PAI. E você sabe bem que olhar é esse não sabe? Pense nos seus filhos fazendo o que não deveriam fazer. Onde vemos erros, Ele vê tentativas, coragem, oportunidades de aprender, crescer e melhorar!! Nós também fazemos assim com nossas crias!!

Enfim, que possamos nos perdoar diante dessa realidade de que não somos nem seremos perfeitos. Que possamos acreditar mais no nosso potencial de pais, mas também nos negar a ficar para sempre como estamos. É verdade, sempre podemos melhorar!  Mas que o desejo pelo futuro não estrague nem anule  o pai ou a mãe que você e eu ( com tanto esforço) já nos tornamos!! 

Gostei

Deixe um comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo