A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
17 dezembro 2013

Meu parto foi assim…

Postado por: Rafa Manfroi

Meu parto: o que sonhei e o que Deus planejou pra mim!!

Bom, quem me conhece sabe que eu sempre fui avessa a Parto Normal, na verdade achava um terror a mulher “escolher” sofrer feito uma condenada, gritar, quase morrer de tanta dor pra fazer o filho nascer, sendo que a modernidade nos permite fazer uma Cesária e não sofrer tanto assim!

Na minha primeira gravidez, eu nem cogitava outro meio de ter minha filha se não pela Cesária e minha médica também nunca me perguntou se eu gostaria de conhecer mais sobre o Parto Normal ou se gostaria de fazê-lo, caso meu pré natal estivesse tudo ok. Também nunca me incentivou, dizendo que eu poderia, que fui feita capaz, que meu corpo é preparado para isso, enfim!!  Fiz minhas consultas, marcamos a data da Cesária e a Gabriella nasceu de 38 semanas e meia com 3.040k e 51 cm. Deu tudo certo, sem nenhuma complicação, porém… Eu sentia, dentro de mim, que ela havia nascido antes da hora, que poderia ter ficado mais tempo amadurecendo na minha barriga!!

Agora, na segunda gravidez, na 23ª semana de gestação, eu assisti um filme, na verdade uma chamada de um filme “O renascimento do parto” que me marcou pra sempre e profundamente. Lá tinham médicos PHD falando sobre a importância de uma criança nascer de parto normal e os benefícios disso pra ela e pra nós mães, bem como pra relação mãe e filho. Escutar aqueles relatos me despertou um desejo de passar por esta experiência. Parecia loucura eu, que era totalmente contra e que morria de medo do Parto, decidir na metade da gestação fazê-lo. Conversei com meu marido que de imediato me apoiou. As outras pessoas com que falei: pai, mãe, amigas, a maioria achou que era tamanha besteira, mas minha decisão interna estava tomada e o que eu precisava naquele momento era apenas fortalecer minha coragem, minhas convicções e aumentar meu conhecimento.

Foi então que passei a participar do GESTA CASCAVEL, um grupo de gestantes e mães que discutem temas sobre a educação, o desenvolvimento dos bebês e também sobre Parto Normal, já que o grupo é liderado por duas doulas, mulheres que acompanham a gestante no trabalho de parto dando suporte emocional e psicológico. Foi maravilhoso cada encontro, pois conheci mulheres muito fortes, convictas da sua capacidade e da força do seu corpo. Cada vez que eu entrava lá me sentia mais forte e capaz! Fui tirando minhas duvidas e me munindo de conhecimento e coragem. A falta de conhecimento, a ignorância sobre qualquer assunto nos pré-dispõe ao medo, a ansiedade e a dúvida e era exatamente isso que acontecia comigo. Descobri, com o passar do tempo, que eu era contra o Parto porque na verdade morria de medo e me achava incapaz e não porque achava errado fazê-lo.

Vivemos, infelizmente, num país que não nos motiva ao Parto, até porque não é rentável, não gera lucro aos médicos e isso faz com que nos enfiem “goela a baixo” a cesária que é rápida, prática e com hora marcada, ou seja, não tira ninguém da zona de conforto! O que ninguém leva em consideração são os riscos que ela nos traz e a dor (sim, cesária dói muito) que ela nos proporciona por alguns bons dias!

Bom, então eu resolvi que faria o Parto Normal Natural, ou seja, sem intervenção cirúrgica! Conversei com a minha médica, que apesar  de não fazer concordou em continuar me acompanhando, fazendo meus exames  e fui em busca de um médico que apoia a causa e que tem prática em Partos inclusive de gêmeos e de crianças que nascem sentadas. É esse mesmo!! Dr. Jesus!! Até brincava que seria Jesus no céu e Jesus na terra por mim!kkkk!!

Minha gestação estava ótima, exames todos em dia e tudo muito saudável! Iniciei a Fisioterapia obstétrica com a Dra. Naiara que é fisio, doula e que é uma das pessoas mais queridas e disponíveis que já conheci!! Contratei também uma doula que me acompanharia no dia do meu trabalho de parto e com quem eu já estava tirando dúvidas e conversando bastante, pra mandar embora tamanha ansiedade. Outra coisa que fiz foram sessões de EPI-NO, um aparelho que era colocado dentro da minha vagina e era bombeado, inflando até chegar a 10 de dilatação. O objetivo era trabalhar meu períneo para que não tivesse nenhuma laceração na hora do parto. Quem fazia essas sessões era a Mariana, doula e uma pessoa muito sensível e disponível também! Eu brincava que tinha uma equipe de amor, e era a pura verdade!! Algumas semanas depois, contratei também uma enfermeira, a Honielly, que tem especialização em Obstetricia e faz a maioria dos partos domiciliares em Cascavel. Que pessoa e profissional fantástica ela é!! Manja tudoooo de parto e de amamentação!!

Bom, equipe preparada, barriga gigante, chegamos na 39ª semana: nada!! Meu corpo não dava nem sinal! Cólo espesso, bebê alta, nada de contrações, nada de romper a bolsa, nem sair o tampão. Assim eu fiquei até a 41ª semana. Nada do meu corpo entrar em trabalho de parto. Minha mãe já havia chegado do MT pra me ajudar, o telefone tocava todos os dias com pessoas da família e amigos ansiosos pela chegada da Carolina e…nada!! Tenho que confessar que até a 40ª semana eu estava super bem emocionalmente, confiante, tranquila! Escutava o coração dela no mínimo 2x na semana, fazia todos os exames necessários e seguia todas as orientações médicas. Estava tudo ok conosco, não tinha porque me preocupar.

Na 41ª semana e 2 dias fui ao consultoria para verificar como estava o liquido e a médica me disse que minhas condições não estavam muito favoráveis a continuar esperando. O liquido já estava grosso e um dia a mais de espera dentro dessa semana poderia ser perigoso. Como eu estava muito mal há 2 dias, sentindo muita falta de ar e com meu emocional bem abalado pela ansiedade e uns medos que me rondavam, atendi a orientação da Dra.: Rafa, se eu fosse você faria a cesária manha mesmo e não esperaria nem mais um dia! Até semana passada você estava ótima, mas hoje as coisas mudaram!

Sai de lá com a cesária marcada para o próximo dia de manhã! Foi um misto de frustração, tristeza e um sentimento de tirar quilos das costas ao mesmo tempo! Eu tava muito preocupada com a saúde da minha pequena e me aliviou saber que aquilo acabaria no outro dia e eu a teria em meus braços, não da forma que eu sonhei, me preparei e desejei para nós, mas ela estaria ali.

Foi uma Cesária tensa. Eu senti muita pressão, falta de ar, um cheiro muito forte de queimado, tudo diferente do que senti na Cesária da Bibi. Sofri muuuuito no pós parto, muitas dores no abdômem e nas costas, por 5 dias.  Talvez porque fosse algo que eu não gostaria de estar fazendo, mas correu tudo bem. Na hora que ela nasceu, que tiraram ela da minha barriga, a Dra. Valéria viu 2 circulares de cordão no pescocinho dela e circulares bem apertadas, o que estavam deixando ela alta, sem encaixar! Naquele momento ela me falou que seria muito provável que eu esperasse mais a semana toda e ela não encaixasse, nos colocando em riscos. Ali eu entendi que havia feito a escolha certa! Não fiz a Cesária porque queria ir com o cabelo escovado e a data nas lembrancinhas, mas porque não poderia mais esperar dentro de um quadro seguro e saudável. O peso dela também dificultaria um pouco o trabalho de parto, que poderia ser mais demorado que o normal, porque ela era beeeem gordinha: 4.210k. Não que ela não pudesse nascer com esse peso, mas seria algo que dificultaria o processo.Talvez.

Bom, eu só sei que diante de todas essas cosias eu louvo a Deus por ter me feito agir diante do que eu sentia ser melhor pra minha pequena e agradeço por todo o livramento que Ele nos deu!!  Não me arrependo de ter esperado, porque ela nasceu grande, gorda, forte, firme! Uma criança madura, preparada para nascer, para sugar. A Honi, a enfermeira que me acompanharia no Parto Normal, me acompanhou na Cesária, ficou do meu lado, trouxe a Carolina para mamar ainda no centro cirúrgico e isso foi maravilhoso!! Nós não nos separamos em momento nenhum e isso gerou um vínculo instantâneo entre nós! Delicioso!! Ela mamaou por 45 minutos e depois a Honi me acompanhou também no quarto para garantir uma boa pega no peito. E tem me acompanhado em casa nesses primeiros dias. Super indico para todas as gestantes, independente do tipo de parto que tenham!!

Não deu tempo de contratar fotógrafo, nem me preocupei muito com isso também, mas papai registrou alguns momentos! Momentos de amor, de vida, de bênção! Louvado seja o Senhor!!!

 

Gostei

Deixe um comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo