A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
27 julho 2016

Ensinando as crianças que emoções ruins não existem!

Postado por: Rafa Manfroi

Não há como negar que alguns sentimentos são mais bem-vindos do que outros e que a fila das boas risadas é infinitamente maior do que a fila das lágrimas, tristezas e frustrações, isso é fato!!

Ninguém gosta de sofrer ou ficar com raiva, mas existem momentos na vida em que estas emoções, até então “negativas”, se tornam indispensáveis e até mesmo saudáveis.

Quem ai, adulto, que depois de um dia de tremenda frustração não decidiu tomar decisões importantes, fazendo mudanças necessárias e por muito tempo adiadas?

Na vida das crianças também é assim. Elas provam todos os dias da mistura de sentimentos que mora dentro delas, mas nem sempre compreendem que sentimentos como a raiva e a tristeza são naturais e que se livrar deles é pura perda de tempo.

Raiva

Pensem comigo: Se um animal de estimação morre, qual o sentimento naturalmente esperado? A tristeza!!

Se alguém fica horas na fila para entrar num musical e os lugares esgotam? A frustração!!

Se um amigo quebra o seu brinquedo propositadamente? A raiva!!

Vamos usar a raiva como exemplo e falar do nosso grande desafio?

Nosso desafio é fazer as crianças entenderem que errado não é sentir raiva, mas o que vamos fazer com esse sentimento. Não podemos agredir as pessoas nem quebrar as coisas, por exemplo!!

Ensinar a criança a lidar com a raiva a faz compreender e sentir que podemos crescer, aprender e nos tornar melhores com cada sentimento existente.

O filme “Divertidamente” nos ensina exatamente isso, o valor e a função de cada sentimento e pode ser uma excelente dica de programa pais e filhos!!

Aqui, vou citar algumas dicas de como ensinar as crianças a colocarem a raiva para fora de forma saudável:

  1. Pegue um travesseiro e grite bem alto dentro dele, imaginando que toda sua raiva ficou ali.
  2. Dê socos nesse mesmo travesseiro, colocado toda sua raiva para fora. Olha que bom, ele não sente dor, não se machuca e nem chora.
  3. Atire esse travesseiro na parede quantas vezes você sentir vontade até sentir que essa energia pesada da raiva foi embora.
  4. Pegue um jornal velho, um giz de cera vermelho e rabisque com toda força este papel. Ao final rasgue-o, coloque-o numa sacola e leve até a lixeira.
  5. Esportes, exercícios físicos, uma boa conversa e um diário também funcionam super bem!!
  6. Lembre-se de que chorar é muito saudável para que esta raiva, tristeza ou frustração não fique guardada gerando dores e outros sintomas.

Com carinho, Rafa.      

Rafaella Manfroi é psicóloga clínica e escolar, especialista em casais e família. Trabalha com Educação há mais de 12 anos e é autora do Blog Vamos Educar.      

 

Gostei

Deixe um comentário:

Comentários

  1. priscila disse:

    UFA que bom que estou no caminho certo…também sou sou psicóloga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo