A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
03 abril 2013

Enfim, meu bebê nasceu! Mas e agora, o que fazer?

Postado por: Administrador

Meu bebê nasceu! E agora?

Olá papais e mamães! É um prazer imenso poder compartilhar com vocês um pouquinho do meu aprendizado e minhas experiências neste espaço tão gostoso que criei para estar pertinho de cada um de vocês, o Vamos educar!

A chegada de um bebê é uma experiência única e vem recheada de descobertas, surpresas e aprendizagens, porém, nem sempre é fácil de lidar com elas.

Antes de pegarmos o bebê nos braços, darmos o primeiro banho, trocarmos as primeiras 8 fraldas do dia, nos adaptarmos aos desafios da amamentação, antes de passarmos noites e noites acordadas tentando decifrar os indecifráveis choros do bebê, a idéia de ser pais era com certeza muito mais romântica e simples. A realidade, porém, é outra. Ela vem com uma mistura de amor e raiva, alegria e ansiedade, realizações e frustrações. Sim, estes são sentimentos comuns a muitos pais de primeira viagem. O que normalmente acontece é que nós não ficamos sabendo. Quando questionados sobre como está sendo a experiência com o bebê recém nascido, eles respondem algo automático como: “ Vai tudo ótimo, graças a Deus! Filhos são uma verdadeira benção”. Mas na verdade, eles estão apavorados com a cólica dos 3 meses, o umbigo que insiste em não cair, os choros da madrugada e o peito tomado de rachaduras. Seu coração está cheio de dúvidas e seu corpo, cheio de cansaço. O filho tão desejado e planejado é também a criaturinha que bagunçou a sua rotina, diminuiu suas horas de sono e descanso e os colocou num mundo novo. E como o novo vem normalmente acompanhado de uma possível crise, é hora de respirar fundo e entender que a sua forma de reagir às dificuldades é que vai fazer toda diferença nesse momento. Por mais lindo e saudável que seu filho seja, toda criança dá trabalho e exige de nós um amor sacrificial, então, a minha dica é que vocês mamães e papais se permitam errar, chorar, descansar e até mesmo pedir ajuda à família, amigos e profissionais se necessário. As vovós e os vovôs são maravilhosos em nos socorrerem nos momentos de sufoco, dividindo conosco suas experiências, seu amor e maturidade.

Todos os pais sofrem nessa fase, uns mais, outros menos, e o que diferencia não é apenas a intensidade dos problemas, mas o grau de importância que damos a eles, por isso, tentar levar de forma leve as mudanças e desafios dessa fase são uma boa saída, lembrando inclusive que “Tudo passa” e passa mesmo!

Infelizmente o único fator constante na vida dos pais é a mudança. Quando pensamos que já sabemos lidar com aquela situação e que está tudo sob controle, tudo muda novamente!  O crescimento da criança é caracterizado por períodos de equilíbrio e desequilíbrio e nós estamos nos equilibrando e desequilibrando junto com ela nesse processo de aprender a ser pais. Então, deixem o sentimento de culpa e impotência de lado, não tentem ser perfeitos (porque este é um sonho impossível) e curtam as dores e as delicias desse momento tão prazeroso e desafiador com a bagagem que vocês têm. Lembrando sempre que vocês são os pais que seus filhos precisam para se tornarem os adultos que eles deverão ser.

Que Deus abençoe vocês e os encorajem nesta linda missão de serem pais!

Gostei

Deixe um comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo