A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
14 fevereiro 2014

E quando toda a resposta do seu filho é NÃO?

Postado por: Rafa Manfroi

                                                     

                                                            E quando toda a resposta do seu filho é NÃO?

Olá pessoal!! Aqui em casa estamos vivendo uma fase difícil com nossa filha mais velha de 4 anos, a Gabriella, mais conhecida por Bibi!! Ela acaba de ganhar uma irmãzinha e percebemos que desde a minha gravidez as coisas têm mudado. O temperamento dela está mais “esquentadinho” e o comportamento dela não tem sido o mais admirável, pelo contrário, a palavra que mais ouvimos é o famoso NÃO!!

Esse NÃO, quando não dito, é visto também em forma de comportamento negativo, ou seja, ela se nega a fazer o que pedimos ou faz algo completamente oposto ao que instruímos.

Diz a teoria que a fase do NÃO acontece perto dos 3 anos e pode durar até os 5, quando a criança vivencia a “fase da onipotência”  onde ela pensa que pode tudo, na hora que quer e do jeito que quer.  Por outro lado ela pode ir embora tão rápido como chegou, mas de qualquer forma sempre deixa os pais um pouco irritados e ás vezes sem saber como agir!

Esta fase pode aparecer também ligada a um acontecimento isolado, como a vinda de um irmãozinho, por exemplo, que mexe com a estrutura familiar, deixando a criança mais velha com alguns medos e inseguranças e, com isso, apresentando sintomas de agressividade e oposição. Aqui em casa foi assim!!!

No nosso caso, a Bibi sempre teve um coração muito ensinável, sempre aceitou as correções e costumava aprender com elas, porém, quando engravidei e a barriga passou a ocupar um espaço nas nossas vidas, ela iniciou seu comportamento opositor, piorando depois do nascimento da Carolina!! Socorro!!

O dia a dia com a criança precisa ter regras, rotina e imaginem como ficou a minha paciência com um bebê que nasceu exatamente nas férias da primogênita!! Ficávamos nós 3 trancadas dia e noite em casa, eu dando atenção quase exclusiva a bebê que precisava mamar, trocar fralda, ser colocada para dormir, tomar banho, arrotar….ufa!! Quando eu via, o tempo já tinha passado e a Bibi havia ficado sem atenção, sem ajuda, sem a companheira de brincadeiras. Eu sei que é uma fase, que tudo passa, mas é sofrida essa realidade e não é sofrida só pela mãe, mas pela criança também, que na sua imaturidade muitas vezes reage de forma agressiva e desobediente, causando, sem querer, mais conflito e tumulto!

Um cuidado que passei a tomar foi o de não convidá-la para fazer as tarefas, mas sim chama-la, tirando dela a opção de decidir o que fazer. Por exemplo: “Filha, vamos tomar banho!” e não: “Filha, vamos tomar banho?” Claro que mesmo assim ela muitas vezes se fingia e ainda finge de surda, não atendendo e não vindo em minha direção e é ai que a coisa vai ficando “preta”, a final, não existe só o banho, mas o escovar os dentes, se arrumar pra sair, prender o cabelo, colocar os sapatos, lavar as mãos, subir na cadeira….e lidar com objeções para todas essas coisas tem me deixado muito irritada nos últimos dias!! Por este motivo comecei AGIR!!

Dicas do que fazer quando nossos filhos dizem NÃO pra tudo:

1.       Cuide para usar menos a palavra NÃO. Prefira frases positivas: “Brinque na piscina de criança” ao invés de dizer “Não brinque na piscina de adultos, não fique ai.” Toda frase negativa tem um jeitinho diferente e mais positivo de ser dita, basta a gente praticar.

2.       Tenha regras claras na sua casa, isso facilita a obediência da criança: “Isso pode, isso não deve ser feito”.

3.       Algumas coisas podem ser negociadas: “Você quer comer agora ou quando acabar o seu desenho?” O mais importante é que a coordenada continue sendo sua e que ela coma.

4.       Procure avisar que daqui há 5 minutinhos ela terá que desligar a T.V, isso prepara o emocional dela para obedecer sem contrariar.

5.       Algumas coisas são inegociáveis e precisam simplesmente ser obedecidas. Nesta hora você pode responder: “Eu sou sua mãe, fui escolhida para cuidar de você e por isso você precisa me obedecer. E precisa ser agora.”

6.       Caso seu filho não obedeça, tenha algumas formas de disciplina em mente, como tirar a T.V ou um brinquedo que ele gosta muito e explique que todas as vezes que ele desobedecer vai perder algo legal. Isso faz ele se responsabilizar pelas suas escolhas.

7.       Outra coisa legal é o “estímulo positivo” em forma de elogios e lembrando que estes elogios devem sempre estar ligados ao caráter da criança e a coisas que ela conquista com esforço:  “Você é muito criativo, muito amigo, atencioso, querido, esforçado…” O elogio tem um poder enorme de transformação no comportamento do ser humano e pode funcionar muito bem na sua e na minha casa!!

No mais, respiremos fundo, contemos até quanto necessário e não perdamos o equilíbrio emocional, porque sem ele, a situação só tende a piorar!! Boa sorte!! Ai e aqui!!

 

Com carinho, Rafa!

 

 

Gostei

Deixe um comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo