A maternidade com suas dores e delícias
imprimir
13 novembro 2015

A guerra para experimentar alimentos novos!

Postado por: Rafa Manfroi

Esse tema lembra-me uma palestra que ministrei para professores sobre a importância da criança experimentar os alimentos no lanche escolar. A questão era: Devemos insistir para a criança comer um pedacinho do alimento? E a minha resposta, que inclusive gerou muita polêmica, foi: Com certeza! E comer significa não só lamber, mas colocar na boca, mastigar, engolir.  Vou explicar…

O comportamento alimentar das crianças está sendo formado e moldado nas experiências com o alimento que a criança tem. Portanto, para que uma criança sempre tenha “coragem” para experimentar alimentos novos depende da postura de quem conduz esses momentos. Nesse caso, pais, mães, avós, babás, professores, devem agir com naturalidade e com firmeza na hora em que a criança está frente a um alimento desconhecido e logo diz que não quer, não gosta.

alimentos novos

O ideal a fazer sempre que tem um novo alimento no prato é pedir e incentivar a criança a colocar na boca, explicando o que o alimento pode fazer para o corpinho. Pedir que coma só um pedacinho, que lamba uma pontinha para sentir o sabor. Vale também esconder um pedacinho na comida, vale misturar com alimentos preferidos, fazer de jeitos mais aceitos (frito). Tudo isso para ir inserindo os novos sabores no paladar.

Para muitas famílias, todas essas tentativas podem transformar em uma guerra na hora da refeição não é? Não deve ser! E atenção: quando a família encara com naturalidade, sem estresse e obrigação todas as etapas do comportamento alimentar da criança, as evoluções são mais fáceis de visualizar e os hábitos naturalmente tornam-se mais saudáveis.

Acredito também que o mais importante é o carinho, o amor, na hora de “negociar” com a criança a hora de experimentar. E isso não inclui forçar, brigar, gritar, fazer trocas, castigar. Na verdade, a guerra para experimentar pode ser ganha já na primeira tentativa se feita com afeto!

E pense bem, se mesmo depois de seguir todas essas orientações, a criança não quiser de jeito nenhum: Calma! Tudo bem! Tente outro dia, de outro jeito. Esqueça por hora e espere uma nova oportunidade. Essa reação mais tranquila ensina a criança que não precisa ser um trauma essa hora de experimentar.

Gerou polêmica aí também? Conte sua experiência nos comentários. Vou adorar te ajudar melhor…

Beijos nutritivos

Nutri Ellen. 

Nutricionista Ellen Beatriz Pietruszynski

Formada na Universidade Federal de Santa Catarina e com 8 anos de experiência em nutrição infantil, alimentação escolar, culinária infantil e alimentação para bebês.

Gostei

Deixe um comentário:

Comentários

  1. Chantele disse:

    Olá, minha filha tem 8 anos não come direito, não quer provar coisas novas, tá bem complicado., favor enviar seu fone, obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

topo